Vestibular
  •  
  • Flickr
  • WhatsApp
  • linkedin
  • Instagram
  • Twitter
  • Facebook
  • Youtube

Centro Universitário Campo Limpo Paulista

 

 

Fique por dentro

fique por dentro - INSTITUCIONAL

Campo Limpo Paulista 08/09/2020

Hospital Veterinário completa um ano de conquistas

Muitos animais receberam tratamento pelo time de Veterinários da Unifaccamp, além disso, os alunos puderam acompanhar os profissionais nas consultas e ter uma grande experiência prática

Além de um atendimento de qualidade, o local também serve de aprendizado para os discentes de Medicina Veterinária

O primeiro ano de funcionamento do Hospital Veterinário Unifaccamp contou com diversos atendimentos e com a participação de alunos. As atividades do curso de Medicina Veterinária começaram a ser mais práticas e levar uma maior vivência aos discentes.

Luciana Silvano é professora e responsável pelos estagiários do local, e conta que com a experiência direta com os animais fez com que os estudantes associassem melhor o que é passado nas aulas. “Os estagiários não podem realizar os procedimentos sozinhos, mas sempre nos acompanham. Com isso, eles percebem melhor a importância de entender a parte teórica.”

Todo estudante de Veterinária pode ter esse aprendizado e conhecer as variadas atividades integradas do Hospital. Para isso, basta conversar com os professores e, a partir de uma escala, eles têm os dias corretos para acompanhar o trabalho, e, além disso, discentes de outras universidades também podem se candidatar aos estágios.

Fabio Roder de Mello está no 5° semestre do curso e acompanha a rotina do Hospital desde janeiro. “Gosto muito de acompanhar atendimentos de emergência, cirurgias e cesárias. Iniciei querendo trabalhar com animais silvestres, mas descobri um lado muito amplo aqui dentro.”

Além de estagiar, Fábio também costuma levar seus animais ao Hospital, como no caso de atropelamento de seu pet. “Acompanhei toda cirurgia da minha cachorrinha. Foi um verdadeiro milagre, já que a princípio a cirurgia seria apenas para o conforto dela, mas fizemos eletroacupuntura e outros tratamentos de fisioterapia e ela voltou a andar.”

Texto: Caroline Rodrigues - RA: 28162
Foto: Reprodução