Vestibular
  •  
  • Flickr
  • WhatsApp
  • linkedin
  • Instagram
  • Twitter
  • Facebook
  • Youtube

 

 

Vestibulares - Inscrições

Fique por dentro

fique por dentro - INSTITUCIONAL

Campo Limpo Paulista 17/03/2019

Rainha do Congo emociona público na Unifaccamp

Diambi Kabatusuila lamenta mortes em Suzano e Brumadinho, conta a história do povo Bantu, primeiros africanos que chegaram ao Brasil, e encanta com sua simplicidade e simpatia

Rainha do Congo, Diambi Kabatusuila, no Anfiteatro da Unifaccamp: plateia se empolga com seu estilo cativante

A Rainha do Congo Diambi Kabatusuila falou para uma empolgada plateia na noite de quinta-feira (14) no Anfiteatro da Unifaccamp. Nem o atraso de quase duas horas por conta do trânsito tirou a motivação dos estudantes e do público presente. Com estilo cativante e esbanjando simplicidade, Diambi falou sobre a contribuição do Congo para a formação da identidade cultural do povo brasileiro. O evento teve transmissão ao vivo pelo Facebook da faculdade.

A palestra lotou o Anfiteatro e também a quadra do Centro Universitário, onde havia um telão transmitindo tudo. Além de Campo Limpo Paulista, a turnê da Rainha já passou por Salvador, Rio de Janeiro e outras cidades. Sua comitiva foi formada por representantes de vários países africanos e até dos Estados Unidos.

Diambi, que significa “aquela que traz a boa nova”, foi recepcionada pelo Mantenedor da Unifaccamp, Nelson Gentil, pela Reitora, Patrícia Gentil, e ainda o Pró-Reitor Administrativo, Fernando Gentil, e a Pró-Reitora de Ações Comunitárias, Silvia Oyama, além de diversos professores e estudantes.

Rainha do Congo, Diambi Kabatusuila
Chegada da Rainha Diamba à Unifaccamp

Em inglês, embora domine os idiomas francês, espanhol e bantu, e também tenha facilidade de se expressar em português, a Rainha palestrou com a ajuda de uma tradutora e, ao começar, demonstrou condolências às vítimas de Brumadinho, das enchentes em São Paulo e do ataque na escola de Suzano. Contou também que veio ao Brasil pois a cultura africana só é lembrada pelo período de escravidão. “Na África nós tínhamos grandes matemáticos, agricultores, engenheiros, além de bibliotecas e enormes construções, mas pela suposição de supremacia de alguns países, há muitos anos, tudo foi dizimado,”

A mensagem principal foi a de que todos os povos são irmãos. “Todos os seres humanos são filhos da mãe África. O berço da humanidade está na África. E, apesar de tudo, o povo africano ainda está aqui, e isso é o que importa. Nós sobrevivemos e continuamos aqui”, disse Diambi aplaudida entusiasticamente pela plateia.

Os representantes do povo Bantu, do Congo, foram os primeiros africanos que chegaram ao Brasil no período de escravidão e muitos elementos da cultura brasileira foram originados desse país, como a formação do samba, a culinária e a religiosidade. “Vocês recriaram a África aqui no Brasil. Vocês são a África. Herdaram muitos dos ancestrais e devemos ser gratos a essa história, que é nossa grande professora,”

Regivaldo, Ellen Rozante, Rainha Diambi e Nelson Gentil
Rainha cumprimentando aluna da Instituição: emoção

Ao final, a Rainha encorajou todos a refletir sobre a pergunta: “Por que devemos viver em uma sociedade desigual quando a mãe Terra nos deu tanta abundância? Somos um, juntos e iguais. As diferenças são criadas pelo ser humano”.

Fotos e abraços finalizaram a noite, e as palavras da Rainha que marcaram todos foi: “Vocês têm o poder para transformar o mundo”.

Rainha Diambi encanta com seu carisma
Público participa ativamente de toda a palestra

Texto: Caroline Rodrigues - RA: 28162
Foto: Edvanderson Luiz